Construção Modular – Uma construção com futuro?

Já imaginou morar numa casa que pode mudar de lugar ou adaptar à sua medida sempre que precisar? Acrescentar um quarto, alterar o local onde fica a sala ou transportar a sua casa do campo para a cidade? É possivel, com o desenvolvimento da construção modular. Quer saber um pouco mais?

Nós contamos-lhe tudo desde o início! Foi em 1837 que surgiu primeiro registo de construção modular, no Australian Record com um anúncio para o Manning Portabel Cottage. A estrutura foi projetada e construída pelo carpinteiro Henry Manning, que construiu os componentes em Londres e os enviou muito fácil e rapidamente para a Austrália.

Ainda assim, foi apenas durante e após a 2ª guerra mundial que esta solução encontrou maior utilidade, tanto para albergar grandes agrupamentos de militares, como para colmatar a falta de oferta para os soldados americanos que regressavam a casa e pretendiam adquirir uma habitação de forma célere e a baixo custo. No final da década de 1950, os EUA expandiram o uso da construção modular para escolas, empresas e instalações médicas.

A partir dos anos 70, começou a emergir o uso comercial deste tipo de construção e, hoje em dia, já são vários os exemplos de construção modular que pode encontrar em diversos países. Como as cabines de passageiros do navio transatlântico Queen Mary 2 e a Torre B2 em Nova Iorque, com 32 pisos.

Torre B2 – Nova Iorque (Fonte: Dezeen)

 

Mas afinal o que é a construção modular? Trata-se, como o próprio nome indica, de edifícios pré-construídos em secções ou casas montadas em múltiplos módulos. Esses módulos são produzidos em fábrica e rapidamente entregues no local de construção onde, posteriormente, são conjugados num único item, a sua casa de sonho!

Em Portugal, há cada vez mais pessoas a aderir a esta solução, multiplicando-se da mesma forma, as empresas fornecedoras deste tipo de casas. Viver num módulo de madeira, betão ou cortiça que pode mudar de lugar já não faz apenas parte da imaginação! Bem real, é a casa que a Mima Housing, uma empresa sediada em Viana do Castelo, criou. Uma casa totalmente flexível, que permite alterar a disposição das divisões a qualquer momento. Prático, não?

Também no sector do turismo como, por exemplo, para turismo rural e eco-turismo, este tipo de habitações modulares e pré-fabricadas são cada vez mais utilizadas. É o caso das empresas portuguesas Uchi e Goodmood que se dedicam a criar projectos 100% ecológicos e têm no seu portefólio módulos revestidos em cortiça.

Como já pôde perceber, o sucesso da construção modular é crescente em diferentes países, incluindo Portugal. Isto deve-se também às inúmeras vantagens que esta solução oferece.

 

UMA CASA MAIS AMIGA DO AMBIENTE

Grande parte da degradação do meio ambiente é atribuída à atividade da construção, devido ao elevado consumo de energia e à utilização irracional dos recursos naturais, poluição e desperdício.

No caso da construção modular existe menor desperdício e os materiais que resultam do processo são mais facilmente recicláveis. Algumas empresas reutilizam contentores de carga marítimos em fim de vida útil, posteriormente submetidos a várias transformações, por forma a adaptar às exigências e especificidades deste tipo de construção.

 

UMA CASA FEITA À MEDIDA DAS SUAS NECESSIDADES

O aspeto de uma casa modular não difere muito de uma casa tradicional. Atualmente, diversas empresas fazem os módulos revestidos a madeira, outras têm opção de revestimento em cimento ou com painéis isoladores de vários materiais.

Há ainda casas modulares com vários estilos de construção: minimalista vs moderno; citadino vs rústico e campestre. Este tipo de construção permite ainda acrescentar módulos se a família crescer ou apenas se precisar de espaço adicional. Claro que serão sempre necessárias as devidas licenças de construção.

O único senão é que, apesar de ter a possibilidade de personalizar alguns elementos da casa, como os materiais utilizados ou o número de divisões, não será possível fazer, por exemplo, uma moradia completamente à sua medida. Isto porque todas as peças são pré-fabricadas em grande quantidade e por isso certas características não podem, para já, ser alteradas.

 

TENHA A SUA CASA PRONTA EM 1 DIA

O prazo de execução é, em comparação com a construção convencional, consideravelmente mais curto sendo que algumas casas modulares podem ficar concluídas em poucas semanas ou dias. Todo o material é entregue no local de construção e, o planeamento que estas casas têm minimiza a ocorrência de atrasos. Um exemplo da rapidez deste tipo de construção é o tempo recorde de montagem de um Mcdonalds, concluído em apenas 13 horas!

 

UMA CASA PARA A VIDA

É legítima a sua desconfiança relativamente à durabilidade de uma casa construída em tão pouco tempo e as suas dúvidas se a qualidade consegue aproximar-se das casas de construção tradicional. Na verdade, essa é uma das questões mais recorrentes, feita aos fornecedores das casas modulares.

Claro que a sua durabilidade está dependente dos materiais escolhidos para a construção, contudo as casas modulares são conhecidas por serem ’as parentes de alta qualidade’ das casas tradicionais, sendo utilizados regularmente materiais mais caros e melhores do que nas convencionais.

A construção deste tipo de habitação permite uma produção em série, o método de construção é mais padronizado, controlado e sujeito a normas e procedimentos bastante rigorosos, pelo que as construções estarão menos sujeitas a apresentar problemas e defeitos. Por exemplo, numa casa “normal”, como o processo de construção é mais lento e exposto às condições climatéricas, é mais difícil controlar a qualidade do isolamento. O facto das casas modulares serem construídas num ambiente fechado, faz com que o seu isolamento seja mais resistente.

 

PREÇOS MAIS APETECÍVEIS

Chegaram as melhores notícias! Como todo o processo construtivo está normalizado e automatizado, os custos de mão de obra são reduzidos e os materiais são negociados antecipadamente e em grandes quantidades, estas casas tendem a ser mais baratas do que a construção tradicional. Na verdade, os compradores poderão pagar entre 10% a 40% menos do que numa casa de construção dita ‘normal’. Por exemplo, a Mudastone tem T2 desde os 105.000€ e T4 com 176m2 que rondam os 142.500€.

Modulo T1 (Fonte: A-cero)

Em contrapartida, por norma, o pagamento deste tipo de casas tem de ser feito antes de serem construídas ou pelo menos é necessário um grande adiantamento às empresas construtoras. O que nem sempre é bem visto pelos clientes um bocadinho mais desconfiados.

No caso de precisar de financiamento, algumas entidades bancárias já têm produtos imobiliários específicos para os imóveis pré-fabricados, ainda assim não estão 100% preparadas e por isso não é fácil conseguir empréstimo para a aquisição deste tipo de habitações e, caso consiga, poderá pagar juros mais elevados quando comparando com a aquisição de uma casa tradicional.

 

Tendo todos estes pontos em consideração, ficámos com vontade de comprar uma destas para nós e até já pensámos para onde é que nos apetecia ir com a nossa casa às costas!

E você, tem algum outro lugar em mente?

 

0
Home Hunting

Home Hunting

Somos a sua agência imobiliária de Lisboa. Somos o seu parceiro imobiliário de confiança e fazemos pelo seu imóvel, um serviço de excelência. www.homehunting.pt/pt/agencia-imobiliaria-online

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.