Já pensou na sua mudança para o imobiliário?

A aversão ao risco está enraizada na cultura portuguesa. Vivemos presos a convenções e influenciados pela opinião dos outros. Por isso, procuramos profissões que nos tragam uma aparente segurança, preferencialmente com um status associado.

No entanto, todos sabemos que existem vários cenários no contexto laboral que nos fazem querer mudar. Arriscar e “dar o salto”, conhecer outros contextos empresariais, outras profissões que nos trariam uma maior qualidade de vida. Mas, o medo do incerto – a tal aversão ao risco –, muitas vezes associada à opinião dos outros, impede-nos de dar uma oportunidade a algumas profissões que provavelmente nos fariam mais felizes.

“O MEU SUCESSO DEPENDE DE MIM”

É difícil encontrar uma profissão que se adeque 100% àquilo que procuramos. Para termos uma profissão que nos permita gerir o nosso tempo e cujos resultados sejam reflexo da dedicação, entrega e eficiência, normalmente pensamos em empreendedores que gerem o seu negócio e que estabelecem as suas regras e metas. Mas, muitas vezes, este passo requer um grande investimento inicial… e que acaba por pôr este “sonho” em segundo plano.

No entanto, existem alguns setores em crescimento com regras do jogo aliciantes, por proporcionarem aos seus consultores a possibilidade de gerirem o seu tempo, expetativas e ambições, enquanto têm o conforto de ter uma empresa sólida por trás e um retorno financeiro elevado. O setor imobiliário é um deles.

O mercado imobiliário apresenta rendimentos altos e conta com empresas para todos os tipos de perfis (afinal, toda a gente arrenda ou compra casa pelo menos uma vez na vida). É, por isso, muito atrativo para diferentes tipos de profissionais.

Sim, conheço o estigma. É natural que não se identifique com a imagem projetada de alguns consultores e agências. Há, assim como noutras áreas (mas com menos exposição) culturas corporativas distintas, missões e valores diferentes, e que resultam num preconceito para com a profissão consultor imobiliário.

(PRE)CONCEITOS SOBRE O CONSULTOR IMOBILIÁRIO

À boleia dos (pre)conceitos sobre ser consultor imobiliário, desafio-o a responder às seguintes questões:

  1. O seu emprego seguro dá-lhe um vencimento mensal em troca exatamente de quê? Acha que tem o equilíbrio ideal entre vida profissional e vida pessoal?
  1. Quais são os frutos de toda a sua dedicação? Sempre que acrescem tarefas e/ou responsabilidades aumentam-lhe o salário? A remuneração no mundo imobiliário pode ser bastante elevada e o empenho e investimento de tempo têm um resultado direto nos seus rendimentos.
  1. Sabe exatamente o porquê das tarefas que faz e como essas atividades são influenciadas e influenciam o mercado? O consultor imobiliário gere o seu tempo e organiza as suas atividades para atingir os objetivos que definiu para si.
  1. Nunca se sentiu a “trabalhar para aquecer”, porque em estruturas corporativas muito tradicionais muitas propostas ficam pelo caminho? Essas horas intermináveis e em vão agora não existem, são suas.
  1. Trabalhar por conta de outrem é sempre visto como mais seguro. Mas, e se invertermos o raciocínio? Os gestores tomam decisões que definem a saúde financeira da empresa e o seu crescimento e, por vezes, existem decisões que afetam salários, a continuação na empresa, o número de horas no local de trabalho, etc.

QUE TIPO DE CONSULTOR SERIA?

O primeiro passo é definir que nicho de mercado quer trabalhar, onde se quer focar. Se esse nicho estiver enquadrado no seu perfil vai, garantidamente, ter sucesso.

Quando se fala em nichos de mercado, surge muitas vezes a dúvida “Se eu me quero focar em casas acima dos 500.000€, não posso vender casas de 100.000€?”. Tenho a resposta para si. Claro que pode e é natural que o faça, só não estará a comunicar para essas pessoas. Elas irão ter consigo, porque de algum modo se identificam. Mas o seu foco e os seus clientes estarão nesse nicho de proprietários acima dos 500.000€.

A IMPORTÂNCIA DE ESCOLHER A AGÊNCIA CERTA

O segundo passo nesta definição do “quem sou eu no mundo imobiliário” passa por investigar e refletir sobre as agências que se identificam com os seus valores, que têm uma comunicação que responda ao “seu” nicho”, uma comunicação que seja o espelho do profissional que é.  De seguida, é só conhecer melhor cada uma e perceber qual oferece as melhores condições para si.

Existem algumas questões que deve ter em conta na altura de selecionar com quem quer trabalhar:

 

  1. Os custos para trabalhar. Existem agências que cobram custos relacionados com fees, formação, royalties, marketing, apoio jurídico e documental ou mesmo o acesso às ferramentas internas ou ao email profissional.
  1. Que formação e acompanhamento irá ter? Apesar de todas as agências prometerem formação, solicite mais pormenores, saiba quais foram as formações ministradas no ano anterior e por quem. Foram exclusivamente formações internas? Também tiveram formações externas? E estas últimas quem as paga? Quanto tempo é dedicado à formação inicial e do que se trata exatamente, como é ministrada?
  1. Qual é o plano comissional e quando são pagas as comissões? Não se esqueça de ter em consideração todo o investimento que a agência faz em si! Tenha também em atenção a data de pagamento das comissões (neste campo, a única resposta deveria ser assim que o pagamento do cliente for efetuado à agência).
  1. Qual a comissão que a agência cobra aos clientes? Este valor influencia diretamente a sua comissão, portanto verifique qual o procedimento da agência.
  1. Quais as condições exigidas para a angariação? Só aceitam exclusivo ou existe a opção não exclusiva. Apesar de considerar o exclusivo a opção certa e a melhor forma de garantir ao cliente um serviço de excelência, tente perceber com que opção se sente mais confortável.
  1. Como funciona a estrutura, como irá trabalhar no dia-a-dia? Os consultores imobiliários são exclusivamente responsáveis com a angariação de vendedores e compradores ou a agência imobiliária também ajuda, através de um sistema de partilha de contactos de potenciais clientes (resultado da implementação de estratégias de marketing no digital, por exemplo). Existe uma estrutura de apoio que qualifica os contactos recebidos ou tem de atender todas as chamadas? Como utilizam a tecnologia e em que portais do setor imobiliário estão presentes?

Muitas destas questões vão fazer a diferença na gestão do seu tempo e consequente sucesso. Portanto, não tome decisões precipitadas e, caso precise de ajuda, pode sempre entrar em contacto comigo.

 

Por aqui…

Gostava de trabalhar connosco? Na Home Hunting temos um perfil de consultor bem definido e consideramos essencial que cada consultor consiga usufruir ao máximo de todas as ferramentas de Marketing e Comunicação disponíveis para potencializar todo o seu trabalho ao máximo. Por isso, cada consultor é assessorado pela equipa de Marketing para definirem, em conjunto, as estratégias de marketing e comunicação a implementar. Este é um é só um dos muitos serviços que a equipa Home Hunting disponibiliza, gratuitamente, aos seus consultores, por acreditar que só com um serviço de excelência é possível atingir o nível de compromisso garantido aos clientes.

 

0

Mara Cruz Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Está a um passo de receber todas as
novidades da Home Hunting!