O que podemos esperar para 2020?

Começámos 2020 com a divulgação da performance da habitação em Lisboa no segundo semestre de 2019, tendo ficado evidente aquilo que andamos a sentir no terreno: o mercado está a ajustar. Ou a corrigir.

O índice de rendas residenciais de Lisboa apurado pelo Confidencial Imobiliário registou uma descida de 1,4% no 3º trimestre de 2019, tendo sido a primeira descida em três anos. Isto significa que a renda média transacionada desceu comparativamente ao trimestre anterior, o que acaba por suportar a minha tese de que o poder de compra não consegue pagar as rendas pedidas.

Fonte: Confidencial Imobiliário

Mas será que este fenómeno nas rendas encontra paralelo no mercado de compra e venda? Eu acredito que sim, sentimos isso no dia-a-dia em Lisboa: o poder de compra não está a subir e não consegue acompanhar a subida do mercado, o que está a levar a tempos de absorção maiores e a um aumento do stock disponível para venda.

Como gosto de me fundamentar em informação credível, fui verificar como estão as transações no mercado de compra e venda no centro histórico de Lisboa nos últimos trimestres e compilei informação sobre:

  • Taxa de variação trimestral sobre o preço médio (€/m2) das transações residenciais no centro histórico de Lisboa
  • Taxa de variação trimestral sobre a quantidade vendida das transações residenciais no centro histórico de Lisboa

 

TAXA VARIAÇÃO TRIMESTRAL DO PREÇO DE TRANSAÇÃO (€/M2)
CENTRO HISTÓRICO LISBOA

Fonte: Confidencial Imobiliário

TAXA VARIAÇÃO TRIMESTRAL DA QUANTIDADE VENDIDA
CENTRO HISTÓRICO LISBOA

Fonte: Confidencial Imobiliário

Enquanto no preço médio dos imóveis a descida é mais evidente em trimestres recentes, na quantidade transacionada a redução é observada há mais tempo.

Se a isso somarmos a vontade existente em continuar a comprar e se o sistema bancário continua a financiar, a única explicação óbvia é que a oferta está demasiado cara. Caso contrário, o expectável seriam mais negócios concretizados em 2019.

Não sou apologista em defender que estamos numa viragem de mercado de 180º ou que vamos cair a pique. Nada disso. Acredito é que atingimos um máximo e estamos a encontrar um equilíbrio entre a procura e oferta. Já não estamos a subir à velocidade dos últimos 3/4 anos, pois já recuperámos a queda de 2010-2015. Agora, apenas crescemos ligeiramente à boleia do IPC, do PIB e de tudo o resto que influencia as nossas vidas.

Os proprietários que estão a vender os seus imóveis e forem mais ágeis a perceber isto irão corrigir os preços do imóvel e conseguir fazer uma concretização em alta. Os outros… irão apenas ajudar os vizinhos a vender, e não se sabe como estará o mercado quando decidirem ajustar o preço.

Na dúvida do preço a que colocar o imóvel à venda, fale com um profissional. Fale comigo!

0

André Maia

Consultor Imobiliário da Home Hunting, especialista no concelho de Lisboa. Apaixonado por números e conhecimento, tem mais 8 anos de experiência como consultor no setor da Banca, ligado a projetos de tecnologia e risco. Adora poder dar o seu contributo e está sempre pronto a ajudar, estando habituado a que o seu trabalho tenha um impacto grande na vida das organizações e das pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Post comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Está a um passo de receber todas as
novidades da Home Hunting!