Lar, quente lar: saiba como proteger a sua casa do frio

Portugal é um país de clima temperado. O que não impede que, em certas zonas, as temperaturas no inverno sejam quase negativas. Para evitar que o frio entre na sua casa, partilhamos algumas dicas de construção, reparação e decoração.

Segundo dados de 2011, dos cerca de 5 milhões de casas existentes no nosso país, perto de 3 milhões revelavam problemas de construção no que ao isolamento diz respeito. Para que tal não aconteça, aconselhamos que recorra aos conselhos de um arquiteto capaz de lhe indicar o melhor tipo de isolamento para a sua habitação, bem como a ajuda profissional especializada no momento da sua aplicação.

1. Começar do zero

Se vai construir a sua casa do zero, pode estudar já os melhores materiais e técnicas de construção para que o frio nunca seja um problema. A construção em massa típica dos tempos modernos, com paredes com apenas uma camada de tijolo, materiais de fraca qualidade e tetos sem isolamento veio agravar a sensação de desconforto em casa e, consequentemente, aumentar os gastos com o aquecimento. É importante, por isso, refletir sobre a posição da casa em relação à incidência do sol, dando prioridade aos quartos.

A orientação solar ideal é influenciada por várias fatores, como a zona do país em que vive

Para uma casa quente aconselha-se ainda cobertura com telhas de barro, laje de forro, revestimento interno de madeira ou gesso, painéis rígidos, materiais reflexivos e membranas isolantes para telhados planos e de baixa inclinação.

Notar ainda que paredes com tijolos de barro evitam a passagem do calor e do frio. Mas, em termos de isolamento, mantas (entre o contrapiso e o piso) e argila expandida também têm as suas vantagens!

Para ajudar a manter as paredes secas, recomenda-se o tratamento com hidrofugante no exterior da casa. Além disso, não se esqueça de que a tubagem deve ser instalada no interior e nunca fora, para evitar congelamentos e ruturas.

Quanto ao tipo de piso, além de lajes pré-fabricadas com elementos que auxiliam no conforto térmico, como o isopor, no momento do acabamento, a madeira natural é a mais indicada sobretudo por comparação com os revestimentos cerâmicos. Se puder, invista num pavimento radiante elétrico e num aquecimento central. Caldeiras, salamandras, ares-condicionados, painéis solares e lareiras com recuperador de calor são os sistemas de aquecimento ao seu dispor.

Para os quartos, o mais indicado são pavimentos em madeira.

2. Do sintético ao ecológico

Sabia que ¼ do calor de uma habitação se perde pelo teto? Por isso, o sótão deve ser a primeira estrutura a merecer atenção em termos de isolamento. Os sótãos devem ser isolados com um valor de R-38 (R é a medida de resistência térmica), que corresponde a uma camada isoladora com uma espessura de 25 a 35 cm consoante o tipo de material usado.

Lã de vidro (também conhecida por fibra de vidro, é um material que não perde a capacidade isolante e não promove o aparecimento de fungos e bactérias), lã de rocha (muito resistente e duradoura) e celulose (alternativa ecológica mas que pode provocar alergias, feita a partir de cartão reciclado, jornais e outros restos de papel combinados com um produto químico) são algumas das opções. O mesmo se poderá dizer da espuma do poliuretano (em forma de spray é muito prática para preencher brechas e fendas que provoquem fugas de ar), do XPS (poliestireno extrudido) e do EPS (poliestireno expandido). Nos últimos anos, por razões de sustentabilidade, há cada vez mais a tendência para recorrer a materiais alternativos como cortiça (altamente impermeável), espuma em spray de soja, retalhos de ganga, e lã de ovelha ou de cânhamo.

Fotografia: Best Landscaping Ideas

DICA: Periodicamente, deve fazer inspeções/reparações à calafetagem das suas portas e janelas. Utilize borrachas, tiras de silicones, escovas, massas de enchimento. Vale bem a pena investir em janelas e caixilharias de qualidade, dada a posterior poupança na fatura de eletricidade. Sobretudo em caso de correntes de ar, os marcos de metal ou de madeira que se colocam na ranhura inferior das portas são também uma solução eficaz. E há sempre os “velhinhos” vedantes de tecido, vulgo “chouriço”. As janelas mais eficientes são aquelas compostas por caixilhos de alumínio com corte térmico e vidros duplos. Um dos tipos mais originais de isolante, na categoria do “faça você mesmo”, é… o plástico de bolha.

3. Lar, quente lar

No inverno é conveniente encontrar uma nova disposição para os móveis, de modo a não obstruir fontes de calor e a garantir arejamento em caso de sobreaquecimento. Afaste as camas das portas e janelas, aproxime o sofá da lareira e da televisão, disponha carpetes e tapetes pela casa.

Forrar as paredes com papel grosso, tecido ou painéis de madeira, optar por tons escuros e quentes nas paredes e nas cortinas – estas feitas de tecidos mais pesados como sarja e linho – são outras das medidas que pode tomar para transformar o seu “lar, quente lar”. Aconselham-se cortinas blackout mas, durante o dia, a ideia é deixar o sol penetrar na casa, para a aquecer.

Tem ventoinha de teto? Pois no inverno também pode e deve usá-la: reverta o sentido giratório e sentirá o ar quente a ser empurrado para baixo. Na estação fria abuse ainda da confeção de pratos no forno e passe a ferro na sala, junto do resto da família, usufruindo do célebre “calor humano”, tudo atividades que vão aquecer o espaço caseiro.

 

5+

Home Hunting

Somos a sua agência imobiliária de Lisboa. Somos o seu parceiro imobiliário de confiança e fazemos pelo seu imóvel, um serviço de excelência. www.homehunting.pt/pt/agencia-imobiliaria-online

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Está a um passo de receber todas as
novidades da Home Hunting!