Soluções Para Teletrabalho Com Crianças

Neste momento em que voltamos ao teletrabalho com crianças e adolescentes em casa, volta o desafio de coordenar espaços e tempos para conseguirmos manter a produtividade, a concentração, a meio de brinquedos e brincadeiras, música e danças para o TikTok, jogos e bolas, refeições, interrupções e pedidos de atenção.

Independentemente da idade, crianças e jovens estão habituados a brincar e conviver com os seus pares no meio escolar e mesmo em tempo de pandemia, conseguiram durante algum tempo manter esta rotina. Agora voltamos a pedir-lhes para ficarem em casa. Por aqui, a primeira pergunta foi, “quanto tempo?”, por quanto tempo temos de ficar em casa? Gostaria imenso de ter essa resposta, seriam 15 dias, mas sabemos que serão mais… Por aqui assumi que até ao fim de março estaremos em confinamento e vou esperar que a minha previsão seja pessimista e antes dessa data, a normalidade já esteja a ser restabelecida. Sendo assim, devemos, desde já, criar estratégias para que as dificuldades do teletrabalho, com crianças em casa, sejam minimizadas e, por um lado, nos permitam realizar os objetivos a que nos propomos e, por outro, nos libertem da culpa de chegar ao fim do dia com a sentimento de frustração por não termos conseguido realizar tudo o que queríamos.

Para isto, partilho alguns desafios com que me deparei na primeira vaga e deixo algumas sugestões que me ajudaram nesta dinâmica.

1º – Separação de Espaços

Trabalhar no espaço de refeição, descanso ou lazer pode criar mais tentações que acabam por desfocar. Por exemplo, se se sentar no sofá, é fácil cair na tentação de ligar a TV e ir acompanhando as notícias. Além disso, o sofá é feito para descontrair o corpo, a sua estrutura não está pensada para horas de trabalho ao computador, portanto é fugir dos sofás!

Tente encontrar um espaço de pouca circulação, a que as crianças não precisem de aceder ou onde possam limitar o acesso por alguns períodos, para que se possam concentrar sem distrações.

2º – Avisem que estão a trabalhar

Sim, nós conhecemos os nossos horários, mas não assumam que as crianças conhecem. Avisem que vão começar a trabalhar e também quando terminam. Criem um sinal, para quando a criança quiser interromper, possa perceber se estão a trabalhar, em reunião online ou livres para os atender.

Por aqui, eu uso um código simples de cores: na porta coloco uma folha verde quando estou disponível, laranja quando estou a trabalhar e vermelho quando estou numa reunião online e só posso ser interrompida para urgências.

3º – Sejam realistas

É impensável ter a mesma produtividade com as crianças em casa, precisamos de estar de olho no que fazem, preparar e ter tempo para as refeições do meio do dia, estar disponível para os ouvir, porque eles também estão mais isolados, também vão requerer mais atenção. Definam os objetivos diários de forma realista, considerando que vão dedicar x tempo ao foco no trabalho, ou dependendo da função, vão realizar x tarefas e no final não acrescentam mais nada ao vosso dia.

4º – Programar o dia

Vamos lá, dividam o que têm a fazer no dia, ou na semana, por tarefas profissionais, pessoais, familiares e dependente de terceiros. Tentem que esta programação seja equilibrada e não assumam que são polvos, com braços para diversas tarefas ao mesmo tempo.

5º – Ensinem os vossos filhos a ver as horas

Se explicarmos às crianças que vamos poder brincar com elas em determinado tempo, garanto que elas preferem ter algum tempo exclusivo para elas a estarem a dividir a atenção com o vosso trabalho. Dependendo da idade, criem de véspera, atividades que eles podem realizar autonomamente nesse tempo de espera, entre pintar, colar, fazer puzzles, jogar um videojogo ou ver televisão. Sim, não os queremos sempre colados a ecrãs, mas se eles existem lá em casa é porque são utilizados, portanto porque não utilizá-los em nosso proveito? Cada pai e mãe saberá aquilo que mais entretém as suas crianças e é seguro para realizar autonomamente.

6º – Programem o dia da criança de véspera

Já programou a sua semana de trabalho? Já sabe como pode distrair os miúdos durante o dia? Agende agora o calendário dos mais novos!

Falem na véspera sobre o dia da criança e cheguem a um compromisso, estipulem um horário para o que eles vão fazer autonomamente e por quanto tempo e aquilo que irão fazer em conjunto. Se a criança ainda não sabe ler, criem um esquema de cores, símbolos e desenhos junto com a imagem do relógio, para que eles percebam quando iniciam e terminam as tarefas e quando vos podem pedir atenção.

7º – Dividam tarefas

Definam um esquema com o vosso parceiro, se existir, para saberem a quem pertence a responsabilidade de olhar pelas crianças, em cada momento e cumpram esta organização. Assim conseguem gerir o vosso próprio dia tendo em conta aquilo que necessita de maior concentração, para os momentos em que as crianças estão a ser supervisionados pelo vosso parceiro.

8º – “Tenho fome!”

Há algum apelo mais difícil de ignorar? E qual a criança que não sabe usar este argumento a seu favor? Especialmente os mais pequenos…. Preparem os lanches de meio do dia na véspera ou ao início da manhã e previnam esta situação, porque já sabemos que vai acontecer. Expliquem-lhes onde podem ir buscar o que comer ou tenham a “lancheira” convosco, para rapidamente solucionarem sem terem de interromper o que estão a fazer.

9º – Criem blocos de tempo

As tarefas podem ser divididas em blocos de tempo de 40 ou 90 minutos. De cada vez que uma tarefa terminar, estabeleçam no vosso esquema tempo para dar atenção aos filhos ou para vocês descontraírem. Estes tempos poderão ser ajustados às necessidades, mas sugiro que sejam aproximadamente metade do tempo da tarefa realizada. Estão a perder tempo com isto? Pode parecer que sim, mas na realidade estão a dar-vos as folgas necessárias para que o dia seja produtivo, sem se tornar stressante e cansativo.

10º – Tirem momentos para vocês em exclusivo

Sim, somos profissionais, cozinheiros, pais, filhos, sobrinhos e tios, temos amigos e todos precisam de atenção, não temos uma só função, temos muitas e todas elas requerem o nosso tempo e, muitas vezes acabamos por nos esquecer de nós próprios. Mas como podemos dar a atenção necessária a todos se não nos cuidarmos, se não estivermos no nosso melhor? Não vamos conseguir. Portanto, mesmo que tenha de retirar uns minutos de tempo a cada uma das funções que realiza diariamente, não se esqueça de estabelecer tempos para si. Para ler um livro, para cuidar do corpo ou simplesmente para não fazer nada, estabeleça tempo na sua organização para si e não prescinda desse tempo.

São algumas sugestões para tornar os próximos dias menos angustiantes num momento em que o mundo nos traz más notícias diariamente e onde precisamos de contribuir para a tranquilidade diária da nossa família. Cumpra as regras, mantenha-se em casa, consuma notícias moderadamente para não entrar em desespero e eperemos que os melhores dias cheguem rápido.

 


Sugestão: Leia o artigo que escrevi em maio sobre “O desafio de reciclarmos os nossos hábitos” em tempo de pandemia. AQUI

0

Mara Cruz Silva

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Está a um passo de receber todas as
novidades da Home Hunting!